terça-feira, 1 de outubro de 2013

Espaço Comunidade entrevista: Coletivo REVITARTE

O Espaço Comunidade apresenta: Matéria da Quebrada.
Todo início do mês iremos entrevistar parceiros, amigos e chegados em um papo firmeza sobre seus trampos, seus corres e projetos futuros.
Estreando nosso troca de ideia, REVITARTE.




Qual é a origem do nome Revitarte, quem faz parte desse grupo? Como se conheceram? O nome surgiu da necessidade de participar de um edital. Foi proposto no início da primeira ação e tem a ver com Revitalização + Arte.
Atualmente, na frente do projeto, somos em 4 pessoas - Allan (Banzé), Bruno (Ricota), Leandro (Lata) e a Patricia - mas tem também outras muitas pessoas que estão com a gente como o Chan (Vinícius), Xigato (Renato), Andersen, Paula… e muitas outras pessoas que agora não vou lembrar. Mas todos são do bairro ou estudaram juntos...
Quais são os serviços que vocês realizam e que tipo de técnicas usam durante os trampos?
Fazemos mutirões para revitalizar lugares abandonados e, de acordo com a necessidade do ambiente (e com a nossa criatividade), implementamos uma técnica diferente. Seja ela o graffite, mosaico, ou qualquer outra coisa. O importante é levar mais vida e cor para o ambiente.
Que tipo de rolês vocês revitalizam, qualquer coisa? Ou há requisitos para entrar com a mão de obra de vocês?
Revitalizamos lugares abandonados, que possam agregar e melhorar algo na vida das pessoas. Podem ser casas abandonadas, escadarias degradadas, becos de passagem da população, praças e quadras esportivas que não recebem cuidado do poder público … qualquer ambiente.
Como funciona o custeio dos materiais que vocês utilizam, tinta spray e latex, azulejos e outros materiais, sai muita grana do bolso?
Tentamos sempre correr atrás de verba, seja por patrocínio de empresas ou por edital. Nas nossas duas primeiras ações saíram grana do nosso bolso. A primeira foi 100% financiada pelos integrantes; Já na segunda ação, tivemos o apoio do projeto Criando Asas, mas a verba captada não foi suficiente, então novamente saiu grana do bolso. Muita coisa também corremos atrás para fazer por um preço menor e/ou até por doação.
Como vocês classificariam o revitarte antes e depois do trampo do escadão (que teve maior visibilidade) e a casa? E porque o escadão teve tanta repercurssão, vocês fizeram o corre atrás da mídia ou veio naturalmente?
A Casa foi o projeto embrião, nem tínhamos a intenção de divulgar ou de ter mídia por trás, pois a ideia foi sempre fazer algo (um vídeo, um trampo) para nós (e para a moradora da casa). Já no Escadão tivemos logo de cara o apoio do Vitinho com o Parceiros de SP, do SPTV (que só foi sair em agosto) e do projeto Cultura de Ponta, do site Catraca Livre. E, aparecer no Catraca foi basicamente o que abriu as portas para nós com relação a divulgação na mídia. Depois que saímos no site vieram o jornal Diário de S. Paulo, o Guia da Folha de SP, Portal Vírgula, Manos e Minas… e muitos outras mídias de peso.
E respondendo sobre o que mudou, antes e depois, posso falar que antes do trampo do Escadão não tínhamos a intenção de levar isso como um trabalho para as nossas vidas. Hoje essa possibilidade existe e estamos abraçando ela o máximo possível.
Com a vinda da beleza e revitalização dos espaços públicos, vocês conseguem pressionar o poder público para ajudar de alguma forma? Já conseguiram algo via poder público?
Na real não foi com a vinda da beleza e da revitalização, e sim com a aparição do projeto na mídia que conseguimos contato com o poder público. Estamos em conversa com a Secretaria da Juventude para uma parceria em novos projetos (para instalação de iluminação, corrimãos em escadas, liberação de autorização para fechar ruas e ocupação de espaço público...)
Pelo histórico já fizeram dois trampos, a casa e o escadão, quais são os próximos projetos?
Estamos com três projetos em vista que apenas dependem de verba para serem colocados em prática. Um ainda no Monte Azul, e dois no Parque Arariba. Nossa ideia é expandir os mutirões para os bairros vizinhos, em lugares que necessitem dessa revitalização.
Onde o Revitarte pretende chegar com as suas ações?
Queremos que todo mundo sinta que o espaço público é de todos. Que é um dever da população cuidar, dar vida, e usufruir dos ambientes, e não apenas esperar sentado que o poder público faça alguma melhoria. Temos que fazer o nosso, sem deixar de cobrar do governo que nos deem o que é de dever deles.
Mande um salve ai pra galera que queira conhecer vocês melhor, a palavra é de vocês Pra quem quiser conhecer, saber mais, trocar uma ideia, fica aí os meios de contato.
Estamos super abertos para quem quiser saber como fizemos, quem quiser dar ideias de locais, e principalmente quem quiser fazer alguma doação.

contato@revitarte.com
www.fb.com/revitarte


NO PRÓXIMO MÊS: ROSA MORENO, contando sua experiência como psicologa e educadora, além do projeto Era Uma Vez aqui no Espaço Comunidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar